FANDOM


Keenn
Keenn2.jpg
Keenn

Outros Nomes

Gorak (entre os bárbaros), Hullaimm (entre os anões) [1]

Status

Vivo [2]

Ocupação

Divindade Maior [2]

Portfólios

Guerra, Destruição [1]

Sumo-Sacerdote

Mestre Arsenal [3]

Primeira Aparição

Tormenta - 1ª Edição

Última Aparição

Sumo-Sacerdotes (web-enhancement)

Classe e Nível

desconhecidos

Tendência

desconhecida

Keenn é o maligno e impiedoso Deus da Guerra e da Destruição, uma das vinte divindades maiores do mundo de Arton e uma das únicas criaturas presentes durante a criação do mesmo[2]. A divindade suprema da guerra, Keenn é responsável por todas as maquinações e intrigas que resultam em batalhas sangrentas no decorrer da história de Arton. Muitos guerreiros costumam reverenciar sua figura[1].

Conta-se que há muito tempo Keenn não era tido como um deus maligno. Muitos acreditavam que ele representava todos os aspectos da guerra, inclusive aqueles "menos ruins" (já que nunca há coisas boas na guerra). Entretanto, com a expansão do culto a Khalmyr e o posterior apontamento deste Deus da Justiça como representante do lado justo da guerra, Keenn passou a ser encarado como símbolo de tudo o que há de maléfico nas batalhas. Não se sabe o quanto disso é verdade. O fato é que, hoje em dia, seguidores de Keenn não despertam muita simpatia entre os habitantes de Arton - especialmente porque este é o deus reverenciado pelo infame Mestre Arsenal, seu atual sumo-sacerdote[1].

Arsenal assumiu o posto após ser trazido de outro mundo e vencer o antigo ocupante do posto, Destrukto[4]. Embora seja seu servo, Arsenal goza de relação quase igualitária com Keenn, e não é impossível que um dia acabe derrotando o próprio deus e tornando-se o novo Deus da Guerra[5]. Normalmente, Keenn é visto como um imenso guerreiro em armadura completa de cor negra. Ele carrega um machado e um martelo de guerra. Seu símbolo é um escudo onde se cruzam um martelo de guerra, um machado de batalha e uma espada longa[1].

Existe apenas uma certeza sobre Keenn: ele quer destruição. Quanto mais uma guerra se prolonga, quanto mais pessoas morrem em batalha, maior seu poder. Dizem que, em tempos de paz, Keenn caminha sobre Arton agindo como agente duplo, sussurrando intrigas entre reinos vizinhos e incitando novos conflitos. Alguns acreditam inclusive que ele, tempos atrás, acendeu o estopim do conflito que resultou na Grande Batalha - e que a atual Aliança Negra dos goblinóides seria na verdade um estratagema de Keenn, e não de Ragnar, como se pensa[1].

Cogita-se entre os estudiosos que seu objetivo é selecionar a raça suprema de Arton. Assim, a guerra funcionaria como um meio de "seleção natural", uma vez que apenas os fortes sobrevivem. Sob este aspecto, Keenn é muito parecido com Megalokk[1].

Relações com o PanteãoEditar

Logicamente, Keenn é o grande rival de Khalmyr como verdadeiro deus da guerra. Ele também é odiado por Azgher, o deus-sol, e está em oposição a Marah, a deusa da paz. Por ser um deus selvagem e destrutivo, encontra-se em contraposição a Lin-Wu e Wynna. Entre os poucos aliados de Keenn estão Megalokk, Tenebra e, ocasionalmente, Ragnar e a Divina Serpente[1].

Keenn, assim como Ragnar e Tenebra, protestou e sentiu-se trapaceado quando do surgimento do Paladino de Arton. Eles queriam a destruição do herói, mas foram superados pelo restante do Panteão, uma vez que os deuses malignos eram minoria e que o Paladino carregava os vinte Rubis da Virtude como parte de seu corpo - e era proibido aos deuses destruir tais gemas[1].

Ver TambémEditar

ApariçõesEditar

Notas e ReferênciasEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória